MILK FRUIT

MILK FRUIT

quarta-feira, 27 de agosto de 2014

Paulo: ações para potencializar o Turismo em Pernambuco


A experiência acumulada durante a sua passagem na Secretaria de Turismo do Estado garantiu a Paulo Câmara (PSB) a percepção das demandas e, principalmente, das muitas possibilidades de avanços que o setor possui. Durante café da manhã, nesta quarta-feira (27), com o Trade Turístico, o candidato da Frente Popular ao Governo pontuou ações que desenvolverá, a partir de 2015, para potencializar os resultados de uma área que já representa 8% do Produto Interno Bruto (PIB) pernambucano.  Junto com seu companheiro de chapa, Fernando Bezerra Coelho (PSB/senador), Paulo destacou que o segmento será beneficiado por iniciativas que melhorarão a infraestrutura dos municípios, além do apoio ao desenvolvimento das diferentes cadeias produtivas existentes.
A capacitação da mão-de-obra foi indicada por Paulo Câmara como um compromisso seu para o fortalecimento do segmento em Pernambuco. O socialista ressaltou que a administração estadual ofertará, através de diferentes mecanismos, oportunidades para que a população possa contribuir mais com o Trade.   
“Com as escolas técnicas e as escolas em tempo integral com cursos para as vocações das regiões do Estado, os municípios poderão apresentar uma mão-de-obra mais qualificada e que ajudará a melhorar os números do Turismo também”, frisou Paulo, destacando que Pernambuco já possui a maior rede de ensino integral do País e ampliou em mais de seis vezes as ofertas de vagas do ensino técnico. “Temos quarenta escolas com esse perfil no Estado”, lembrou.  
Paulo revelou que projeta recuperar e ampliar o número de equipamentos que contribuem para o desenvolvimento de segmentos, como o turismo de negócios. Entre as medidas que serão implementadas pelo socialista está a conclusão do Centro de Convenções de Olinda (Cecon). “O projeto já está pronto e nós vamos fazer. Teremos um Cecon mais moderno e que atenderá as demandas existentes. Mas não vamos esquecer outras regiões do Estado e da necessidade de ter novos equipamentos. Teremos outros aparelhos que ajudarão na realização de eventos”, apontou.
Presidente da Associação Brasileira de Empresa de Eventos (ABEOC), Tatiane Marques elogiou a capacidade demonstrada por Paulo em sentar com o Trade para discutir o setor. “Ele mostrou que tem disposição de fazer, disponibilidade de ouvir. Temos que exaltar isso e discutir juntos, para que possamos ter um Turismo mais forte em Pernambuco”, afirmou.

Em sua fala, Fernando Bezerra Coelho destacou a importância de investimentos para criar um ambiente necessário à atração de empreendimentos.  "Temos que ampliar nossa malha aérea, consolidando mais aeroportos no interior com rotas comerciais. O turismo de negócios é uma vocação que deve ser estimulado, porque gera mais renda e empregos", disse Fernando.  Ele destacou, ainda, que no Senado, lutará para ampliar a qualificação profissional, preparando mais pessoas para trabalhar na indústria do Turismo, que atualmente gera mais de 300 mil postos de trabalho com carteira assinada.

“As mídias alternativas terão espaço no nosso governo”, assegura Paulo Câmara


A série de entrevistas com os candidatos a Governador promovida pela Associação dos Blogueiros do Estado de Pernambuco (AblogPE) no Centro do Recife, e transmitidas “ao Vivo” pelo youtube, seguiu nesta terça-feira (26/8) com Paulo Câmara (PSB).
Paulo Câmara fez questão de registrar logo no início, o acentuado crescimento de Pernambuco nos últimos anos, estimado em 14%, avaliando que o Brasil cresceu bem menos durante o mesmo período, ficando na marca dos 2%. Ele mencionou que uma de suas metas será cobrar do Governo Federal o início e a conclusão das obras inacabadas, focando sobretudo na transposição do Rio São Francisco para que finalmente minimize o problema de abastecimento d’água da população sertaneja.
Questionado quanto à correlação de forças de seu palanque, na medida em que precisará atender a todos os seus atuais aliados, Paulo prometeu instaurar uma relação de transparência em seu governo, sobretudo contemplando e ouvindo cada um dos 21 partidos da sua coligação, assegurando que vai instaurar um novo modelo de política, evitando o paternalismo e o clientelismo.
Indagado quanto ao tratamento que dispensará na distribuição das verbas publicitárias do Governo do Estado, segundo os blogueiros, até então, monopolizadas pela Rede Globo de Televisão, Paulo Câmara assegurou que as mídias alternativas terão espaço no seu governo, reconhecendo que a blogosfera exerce hoje um papel imprescindível na disseminação da informação para toda a sociedade pernambucana.
Quanto ao seu crescimento vertiginoso na mais recente pesquisa divulgada pelo Ibope no momento que acontecia a entrevista, Paulo Câmara, sem demonstrar surpresa, afirmou que isso já estava previsto em razão da visão proposta pelo guia eleitoral na TV e principalmente após a perda trágica do ex-governador de Pernambuco Eduardo Campos, motivos que segundo ele, contribuíram para intensificar a curiosidade do eleitor em saber qual o candidato que Eduardo apoiava para a sua sucessão.

Educação

O candidato espera chegar a 2015 com 40 novas escolas e uma faculdade técnica em pleno funcionamento, ressaltando a falta de mão de obra qualificada que vem sendo um problema gritante em Pernambuco, prometendo que irá reverter este quadro.
Quanto à qualidade do ensino, disse que provocará mudanças no tempo destinado ao ensino público, incentivando dentre outras ações a Escola Integral, onde deverá elevar a educação a um patamar de maior qualidade, abrangendo desde a educação infantil até ao ensino médio. Busca ainda ampliar o Projeto ‘Ganhe o Mundo’ para atingir diretamente 3000 (três mil) estudantes, além de revisar e melhorar a remuneração salarial dos professores da rede estadual.

FEM Social


Disposto em proporcionar uma maior integração entre as políticas públicas desenvolvidas pelo Governo do Estado e as das prefeituras, o candidato da Frente Popular, Paulo Câmara, instituirá, a partir de 2015, o FEM Social. A ferramenta - inspirada no Fundo Estadual de Apoio ao Desenvolvimento Municipal (FEM), que destina recursos estaduais às gestões municipais para a realização de obras de infraestrutura – possibilitará que os serviços públicos funcionem com mais qualidade e alcancem um número maior de pernambucanos. A medida será gradativa, com um cronograma de implantação ao longo dos próximos quatro anos.

O FEM Social ajudará as prefeituras a desenvolverem iniciativas em áreas como educação, saúde, segurança, juventude e políticas de gênero, entre outras. O Governo comandará um estudo das demandas existentes nos municípios para poder ofertar parcerias específicas com cada um deles, melhorando, assim, a prestação de serviço local e a qualidade de vida da população beneficiada, resumiu.

Saúde

“Saúde é um desafio diário”, sentenciou Paulo. Em tom de preocupação, garantiu que fará projetos inovadores que trarão melhorias à atenção básica, implantando o “Programa Medicamento em Casa”, onde deverá viabilizar uma logística de fornecimento doméstico dos medicamentos de rotinas àqueles que por algum motivo não podem se locomover até aos pontos de distribuição. Prometeu também que fará a  construção de 06 novas UPAS especializadas, distribuídas nas cidades do interior, ressaltando que sua meta é chegar a 20 novas unidades, estimulando a contratação de mais 5 mil novos profissionais de Saúde,  sendo que destes, 1.500 novos médicos, permitindo o devido funcionamento destas novas unidades de Saúde que haverá de construir.

Mobilidade

“A mobilidade tem se mostrado como problema constante e perturbador da paz da população”, reconhece Paulo. Ele frisou que deverá melhorar a mobilidade desenvolvendo em seu governo projetos de criação de corredores alternativos, a exemplo do Corredor Norte e Sul, seguindo ao longo da rodovia BR 101. “Ações que estimularão o Turismo e o desenvolvimento socioeconômico do litoral Norte de Pernambuco”, concluiu.




Em nota, PSB diz que empresários pernambucanos emprestaram jato para Eduardo Campos fazer campanha

Empresário João Carlos Lyra assume propriedade do avião Cessna.
O Partido Socialista Brasileiro esclarece:
A aeronave de prefixo PR-AFA, em cujo acidente faleceu seu presidente, Eduardo Henrique Aciolly Campos, nosso candidato à presidência da República, teve seu uso – de conhecimento público– autorizado pelos empresários João Carlos Lyra Pessoa de Mello Filho e Apolo Santana Vieira.
Nos termos facultados pela legislação eleitoral, e considerando o pressuposto óbvio de que seu uso teria continuidade até o final da campanha, pretendia-se proceder à contabilização ao término da campanha eleitoral, quando, conhecida a soma das horas voadas, seria emitido o recibo eleitoral, total e final.
A tragédia, com o falecimento, inclusive, de assessores, impôs conhecidas alterações tanto na direção partidária quanto na estrutura e comando da campanha, donde as dificuldades enfrentadas no levantamento de todas as informações que são devidas aos nossos militantes e à sociedade brasileira.(Do Blog de Jamildo).

Ibope: Armando cai de 43% para 38% e Paulo Câmara sobe de 11% para 29%


A primeira pesquisa Ibope divulgada após o trágico falecimento do ex-governador Eduardo Campos (PSB) mudou o cenário do xadrez eleitoral rumo ao governo de Pernambuco. O candidato Paulo Câmara (PSB), “afilhado político” do presidenciável, quase triplicou o seu percentual desde o último levantamento, publicado em julho. No novo cenário, ele aparece com 29% das intenções de voto, contra os 11% da pesquisa anterior. Já o postulante da coligação “Pernambuco Vai Mais Longe”, Armando Monteiro Neto (PTB), caiu cinco pontos percentuais desde a última análise. O petebista passou de 43% para 38%.
Os candidatos Jair Pedro (PSTU), Miguel Anacleto (PCB), Pantaleão (PCO) e Zé Gomes (PSOL) aparecem com 1% das intenções de voto cada um.
Com o guia eleitoral sendo transmitido há uma semana na rádio e na televisão ficou mais claro para o eleitor as alianças firmadas por cada candidato e os padrinhos políticos de cada lado. A comoção gerada em torno do desaparecimento de Eduardo Campos, principal fiador da candidatura de Paulo Câmara, também pode ser considerada como fator contribuinte na análise dos números.
REJEIÇÃO – O índice de rejeição de Paulo Câmara (PSB) está em  9% e o de Armando Monteiro (PTB) é de 17%. Zé Gomes (PSOL) atingiu 33%, Pantaleão (PCO) teve rejeição de 32%, enquanto  Jair Pedro (PSTU) ficou com 24% e Miguel Anacleto (PCB), 23%. Entrevistados que não souberam ou não quiseram responder somaram 27%.
Ao todo, 1.521 pessoas foram ouvidas, entre os dias 23 e 25 de agosto, em 69 dos 184 municípios do Estado. A margem de erro é de três pontos percentuais, para mais ou para menos.
O nível de confiança é de 95%, o que quer dizer que, se levada em conta a margem de erro de três pontos para mais ou para menos, a probabilidade de o resultado retratar a realidade é de 95%.(Do Blog de Jamildo).

Ataques diretos entre candidatos marcam 1º debate na TV


Confrontos e perguntas diretas entre os candidatos mais bem colocados nas pesquisas eleitoraisDilma Rousseff (PT), Marina Silva (PSB) e  Aécio Neves (PSDB), marcaram oprimeiro debate entre os presidenciáveis, realizado pela Band na noite de terça-feira (26). O encontro foi realizado no mesmo dia em que a mais recente pesquisa Ibope mostrou Marina em segundo lugar na disputa, com 29% das intenções de voto, pela primeira vez à frente de Aécio, que marcou 19%. A presidente e candidata à reeleição continua liderando a corrida pelo Planalto, com 34%.
Ao todo, foram 10 embates diretos entre os três --quatro em perguntas feitas de candidato para candidato e seis confrontos estimulados após questões formuladas por jornalistas do grupo Bandeirantes.
Logo na primeira rodada de perguntas, os presidenciáveis mais bem colocados ignoraram os nanicos --Luciana Genro (PSOL), Eduardo Jorge (PV), Levy Fidelix (PRTB) e Pastor Everaldo (PSC)-- e optaram pelo confronto direto. Marina perguntou para Dilma, a petista questionou Aécio e o tucano fez sua primeira pergunta para a ex-senadora.
Quando o confronto ocorreu entre Dilma e Aécio, ele ficou concentrado em torno das questões econômicas e da Petrobras, um dos alvos preferidos da campanha tucana.
Os choques entre Dilma e Marina foram marcados por questões como a cobrança de ações para atender demandas populares dos protestos de junho de 2013 e as diferenças de perfil entre a 'gerente Dilma' e os 'estrategistas FHC e Lula'.
Já o enfrentamento entre Aécio e Marina se deu na arena da coerência política --como a recusa da pessebista de estar no palanque dos tucanos em SP--, o agronegócio e as críticas indiretas a Dilma sobre o aparelhamento da máquina pública.

Aécio cobra desculpas de Dilma pela gestão da Petrobrás

'A senhora não quer aproveitar esse tempo para pedir desculpas ao povo brasileiro?', disse Aécio, ao atribuir à presidente a queda do valor de mercado do estatal.
Quando teve chance de responder a Aécio, Dilma não poupou o tucano de críticas à gestão econômica do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, cujo segundo mandato foi marcado por 'medidas impopulares', como altos juros e altos níveis de desemprego.
''O governo do PSDB quebrou o Brasil três vezes e foi ao FMI (Fundo Monetário Internacional). Propôs que não se desse aumento de salários e tivemos redução salarial nesse período. O seu partido cortou salários e fez 'tarifaços'', afirmou a presidente-candidata. 
Durante o debate, Aécio tomou uma atitude incomum durante encontros desse tipo: afirmou, durante as considerações finais, que Armínio Fraga, ex-ministro de FHC, será seu escolhido para ocupar a pasta da Fazenda, caso seja eleito presidente.
O anúncio coincide com o momento em que Marina o ultrapassa nas pesquisas e faz sinalizações que agradam o mercado, como prometer a independência do Banco Central. 'Fiz questão de dizer qual é o caminho que vou seguir, já antecipando a indicação, se vencer as eleições, de Armínio Fraga para o Ministério da Fazenda, porque isso sinaliza na direção daquilo que o Brasil mais precisa: resgatar sua credibilidade e criar um ambiente de tranquilidade para que os investimentos voltem', disse após o debate.
Em outro momento, o tucano ainda chamou de 'bolivariano' o decreto dos conselhos populares, que obriga órgãos do governo a fazer consulta pública antes de decidir temas de interesse da sociedade civil. Dilma minimizou as críticas e respondeu que, 'se plebiscitos forem instrumentos bolivarianos, então a Califórnia pratica o bolivarianismo'.

Marina usa protestos de junho de 2013 para atacar gestão Dilma

Lançada ao posto de presidenciável do PSB após a morte de Eduardo Campos, Marina Silva começou o confronto direto quando perguntou a  Dilma sobre os pactos propostos após os protestos de junho de 2013, entre eles questões como a reforma política defendida pelo PT.
Marina ainda afirmou que Dilma distribui cargos para agradar aliados e, provocada por um jornalista, criticou a estratégia da presidente de se chamar de 'gerente'. 'O Lula não foi gerente, foi um homem de visão estratégica. O FHC não é um gerente, é um acadêmico com visão estratégica. Hoje o Brasil vai ser entregue em condições piores do que quando foi entregue à presidente, que se diz uma gerente. Nós vamos diminuir ministérios sem perder os que são estratégicos', afirmou.
Em sua réplica contra Marina, Dilma devolveu a questão à candidata do PSB perguntando quais pastas seriam extintas. 'Acredito que as pessoas têm sim que ter visão estratégica. Agora, um presidente, quando tem que lidar com todos os problemas do país, tem que fazer gestão. No Presidencialismo, o presidente tem de resolver os problemas de gestão'.(Do Blog de Magno Martins).

Não volta, Lula!


Um velho conhecedor do ex-presidente afirma que a sensação de insatisfação com o PT parece tão forte que até ele teria dificuldades para bater Marina. 'Imagina se o Lula volta e perde?', comenta.
Para a campanha de Marina, é preciso esperar para saber se a intenção de voto nela está consolidada ou se ainda se deve, em parte, à comoção com a tragédia que matou Eduardo Campos. O coordenador Walter Feldman pede cautela: 'Os números só terão peso nas próximas pesquisas'.
Por enquanto, a ordem é manter os pés no chão com os números da pesquisa. Marina orientou os mais empolgados a 'calçar os chinelos de algodão'.
O PSB espera que a consolidação de Marina à frente de Aécio contenha, ao menos por ora, a ameaça de debandada de aliados nos Estados.(Do Blog de Magno Martins).

Marina leva pânico ao PT e tucanos e vira alvo comum


Os números do Ibope produziram o mesmo clima de tensão nas campanhas de Dilma Rousseff (PT) e Aécio Neves (PSDB). Os petistas estão em alerta com a rápida conversão dos insatisfeitos com o governo em eleitores de Marina Silva (PSB), e já começaram a treinar aliados para antecipar o embate com a ex-senadora. Os tucanos têm 39 dias, a contar de hoje, para ultrapassar Marina e evitar um fiasco histórico: desde 1994, o PSDB nunca saiu da disputa no primeiro turno. A informação é de Bernardo Mello Franco, na sua coluna desta quarta-feira, na Folha de S.Paulo.
Diz ainda o colunista que o comitê de Dilma começou a ajustar a mira contra Marina. Dirigentes regionais foram orientados a dizer que a candidata não teria capacidade e experiência para conduzir o Brasil em uma crise econômica como a iniciada em 2008.
'Outra tática será carimbar Marina como uma ex-ministra do Meio Ambiente inflexível, que atrasou projetos porque não conseguia dialogar com outros setores do governo.'(Do Blog de Magno Martins).

terça-feira, 26 de agosto de 2014

Caminhada no Alto José do Pinho arrasta multidão

Crédito: Aluísio Moreira.
Um dos focos da resistência cultural pernambucana,  o Alto José do Pinho recebeu nesta segunda-feira (25) o candidato ao Governo Estadual Paulo Câmara (PSB), com muita festa, alegria e música. Cerca de três mil pessoas participaram da caminhada realizada na comunidade,  mostrando que a campanha da Frente Popular vem crescendo no coração do pernambucano. "Temos visto,  nos eventos que temos participado, que cada vez mais o reconhecimento da nossa candidatura e do nosso nome tem crescido,  assim como a convicção da nossa vitória. As pessoas tem mostrado que o que o povo quer é avançar no trabalho iniciado pelo ex-governador Eduardo Campos",  avaliou Paulo.
O candidato avaliou que o crescimento de sua candidatura é  evidente e que até a chapa de oposição já se deu conta.  "Nossos adversários estão ficando nervosos. Eles sabem que a virada começou,  que acabou a brincadeira", apontou o socialista.
Paulo foi acompanhado no evento pelo companheiro de chapa Fernando Bezerra Coelho,  que disputa o Senado,  e pelo prefeito do Recife, Geraldo Julio (ambos do PSB). "Quero renovar diante de vocês o meu compromisso com o Recife. A partir de 2015, vamos continuar e ampliar as parcerias com Geraldo,  para que nossa Capital tenha cada vez mais desenvolvimento e qualidade de vida", garantiu Paulo.

Por todo o trajeto da caminhada,  os moradores do Alto procuravam Paulo,  para dar um abraço, tirar uma foto ou declarar seu apoio.  "Meu voto está escolhido faz tempo,  mas eu queria era ver você pessoalmente.  Agora, eu estou feliz.  Agora,  eu conheci Paulo", comemorou Ladjane de Almeida, cozinheira,  depois de abraçar o socialista no portão de sua casa.

Marina virá “avassaladora” na pesquisa Ibope, diz Márcio França


O coordenador financeiro da campanha de Marina Silva, deputado Márcio França, disse na tarde desta segunda-feira, 25, que pesquisas internas mostram um resultado “avassalador” em favor da candidata do PSB. De acordo com ele, a pesquisa Ibope que será divulgada nesta terça-feira, 26, mostrará que Marina é uma das favoritas na corrida presidencial.
“Para quem era uma zebra, eu acho que hoje a Marina é favorita”, disse o coordenador ao chegar para acompanhar o debate promovido pelo SBT com os candidatos ao governo de São Paulo. França é candidato a vice na chapa do tucano Geraldo Alckmin (PSDB). 

França não respondeu qual é o patamar “avassalador” em que Marina deve aparecer amanhã, mas disse que os “números são muito fortes”.
“Os números que a gente tem de pesquisas internas, que o Ibope vai revelar amanhã, são avassaladores. Vai ter que se acostumar a um outro patamar”, disse. “O Eduardo brigava para ficar famoso. Agora é como se as pessoas quisessem conhecê-lo. Ficaram com saudade de uma coisa que não conheciam. Tudo isso, de certa forma, deságua na Marina”, avaliou.

França comentou ainda as declarações de Aécio Neves (PSDB) de que o bom desempenho de Marina Silva é como uma “onda”, e que acredita voltar ao segundo lugar isolado nas pesquisas “dentro de 15 ou 20 dias”. “O problema é o tamanho da onda. Tem onda de 2 metros, de 5 metros, de 10 metros. Aí não tem depois o que fazer se for muito grande”, disse. 

França afirmou ainda que na classe C “em especial” os números de Marina são impressionantes. “A classe C desloca sempre junto, as pessoas falam entre si. Ao se convencerem (em quem votar), as pessoas convencem outras”, disse. 

Questionado sobre seu novo papel de tesoureiro de campanha, França afirmou que assumiu o cargo nesta segunda e que ainda “não entrou nada”. “Mas soube por amigos que vai entrar. Empresário entra muito pela chance (nas pesquisas). É da índole se deslocar pela chance”, afirmou. 

França comentou ainda a situação de resistência de Marina em dividir o palanque com Alckmin em São Paulo. Segundo o pessebista, a situação é a mesma de antes da morte de Eduardo Campos e agora caberá ao vice de Marina abrir espaço para o tucano. “Caberá a Beto Albuquerque pedir votos a Alckmin no programa eleitoral”, afirmou.(Do Blog de Jamildo).

'A virada já começou', comemora Paulo Câmara


O horário eleitoral gratuito começou a ser transmitido nas cadeias de rádio e TV há apenas uma semana, mesmo assim o candidato ao governo do Estado pela Frente Popular, Paulo Câmara (PSB), acredita que o desconhecimento em torno de seu nome já começa a ser desfeito.
Ontem, durante caminhada no Alto José do Pinho, na Zona Norte do Recife, o socialista disse que o resultado do trabalho que vem desenvolvendo já poderá ser sentido nas próximas pesquisas. 
Durante todo o ato, Câmara fez muitas referências a Eduardo Campos, na tentativa de incutir de uma vez por todas na cabeça da população que era o candidato do ex-governador e que será o responsável por dar continuidade aos projetos desenvolvidos nos últimos sete anos.
“Nosso guia já começou. Nós estamos tendo a oportunidade de divulgar nossas ideias e nossas propostas. Nossos adversários já estão começando a ficar nervosos, porque eles estão vendo, estão sentindo nas ruas que a virada começou, que não tem mais brincadeira”, advertiu o socialista.
“O obstáculo do desconhecimento está sendo vencido. Eu tenho plena convicção de que nós vamos ganhar as eleições. A gente tem sentido nas ruas que as pessoas querem a continuidade das transformações. Isso já vai ter resultado nas próximas pesquisas”, garantiu.
Procurando mostrar confiança, o pleiteante ao Palácio do Campo das Princesas chegou a dizer que seus concorrentes já estão com medo de sua evolução eleitoral.(Do Blog de Magno Martins).